Boi do Coco - Lenda - Governador Nunes Freire - BY SUPERINFOR.COM

 Por Nicodemos Freire:



Diz à lenda que certa noite de lua cheia, um pescador foi pesca as margens do rio do coco com seus trajes de chapéu de palha; cofo; tarrafa e anzol. Chegando ao rio começou a pescaria, mas a noite não estava pra peixe, vez ou outra o pescador bebia uma cachaça, alguns horas depois já delirando debruçou-se no cofo vazio debaixo de uma palmeira as margens das aguas frias que refletia o luar e ébrio pela bebida fantasiou um boi de palha e deu-lhe o nome do rio em que pescava o boi do Coco ou boi de cofo e diz que seu santo protetor é São Pedro pescador e todo dia 29 de junho de cada ano o boi sai das águas encantado e vem brincar nas ruas e terreiros da cidade.
Diz à lenda que certa noite de lua cheia, um pescador foi pesca as margens do rio do coco com seus trajes de chapéu de palha; cofo; tarrafa e anzol. Chegando ao rio começou a pescaria, mas a noite nãomeu ip
Diz à lenda que certa noite de lua cheia, um pescador foi pesca as margens do rio do coco com seus trajes de chapéu de palha; cofo; tarrafa e anzol. Chegando ao rio começou a pescaria, mas a noite não estava pra peixe, vez ou outra o pescador bebia uma cachaça, alguns horas depois já delirando debruçou-se no cofo vazio debaixo de uma palmeira as margens das aguas frias que refletia o luar e ébrio pela bebida fantasiou um boi de palha e deu-lhe o nome do rio em que pescava o boi do Coco ou boi de cofo e diz que seu santo protetor é São Pedro pescador e todo dia 29 de junho de cada ano o boi sai das águas encantado e vem brincar nas ruas e terreiros da cidade. meu ip
Diz à lenda que certa noite de lua cheia, um pescador foi pesca as margens do rio do coco com seus trajes de chapéu de palha; cofo; tarrafa e anzol. Chegando ao rio começou a pescaria, mas a noite não estava pra peixe, vez ou outra o pescador bebia uma cachaça, alguns horas depois já delirando debruçou-se no cofo vazio debaixo de uma palmeira as margens das aguas frias que refletia o luar e ébrio pela bebida fantasiou um boi de palha e deu-lhe o nome do rio em que pescava o boi do Coco ou boi de cofo e diz que seu santo protetor é São Pedro pescador e todo dia 29 de junho de cada ano o boi sai das águas encantado e vem brincar nas ruas e terreiros da cidade. meu ip
Diz à lenda que certa noite de lua cheia, um pescador foi pesca as margens do rio do coco com seus trajes de chapéu de palha; cofo; tarrafa e anzol. Chegando ao rio começou a pescaria, mas a noite não estava pra peixe, vez ou outra o pescador bebia uma cachaça, alguns horas depois já delirando debruçou-se no cofo vazio debaixo de uma palmeira as margens das aguas frias que refletia o luar e ébrio pela bebida fantasiou um boi de palha e deu-lhe o nome do rio em que pescava o boi do Coco ou boi de cofo e diz que seu santo protetor é São Pedro pescador e todo dia 29 de junho de cada ano o boi sai das águas encantado e vem brincar nas ruas e terreiros da cidade. meu ip
Diz à lenda que certa noite de lua cheia, um pescador foi pesca as margens do rio do coco com seus trajes de chapéu de palha; cofo; tarrafa e anzol. Chegando ao rio começou a pescaria, mas a noite não estava pra peixe, vez ou outra o pescador bebia uma cachaça, alguns horas depois já delirando debruçou-se no cofo vazio debaixo de uma palmeira as margens das aguas frias que refletia o luar e ébrio pela bebida fantasiou um boi de palha e deu-lhe o nome do rio em que pescava o boi do Coco ou boi de cofo e diz que seu santo protetor é São Pedro pescador e todo dia 29 de junho de cada ano o boi sai das águas encantado e vem brincar nas ruas e terreiros da cidade. meu ip
Diz à lenda que certa noite de lua cheia, um pescador foi pesca as margens do rio do coco com seus trajes de chapéu de palha; cofo; tarrafa e anzol. Chegando ao rio começou a pescaria, mas a noite não estava pra peixe, vez ou outra o pescador bebia uma cachaça, alguns horas depois já delirando debruçou-se no cofo vazio debaixo de uma palmeira as margens das aguas frias que refletia o luar e ébrio pela bebida fantasiou um boi de palha e deu-lhe o nome do rio em que pescava o boi do Coco ou boi de cofo e diz que seu santo protetor é São Pedro pescador e todo dia 29 de junho de cada ano o boi sai das águas encantado e vem brincar nas ruas e terreiros da cidade. meu ip
Diz à lenda que certa noite de lua cheia, um pescador foi pesca as margens do rio do coco com seus trajes de chapéu de palha; cofo; tarrafa e anzol. Chegando ao rio começou a pescaria, mas a noite não estava pra peixe, vez ou outra o pescador bebia uma cachaça, alguns horas depois já delirando debruçou-se no cofo vazio debaixo de uma palmeira as margens das aguas frias que refletia o luar e ébrio pela bebida fantasiou um boi de palha e deu-lhe o nome do rio em que pescava o boi do Coco ou boi de cofo e diz que seu santo protetor é São Pedro pescador e todo dia 29 de junho de cada ano o boi sai das águas encantado e vem brincar nas ruas e terreiros da cidade. meu ip
Diz à lenda que certa noite de lua cheia, um pescador foi pesca as margens do rio do coco com seus trajes de chapéu de palha; cofo; tarrafa e anzol. Chegando ao rio começou a pescaria, mas a noite não estava pra peixe, vez ou outra o pescador bebia uma cachaça, alguns horas depois já delirando debruçou-se no cofo vazio debaixo de uma palmeira as margens das aguas frias que refletia o luar e ébrio pela bebida fantasiou um boi de palha e deu-lhe o nome do rio em que pescava o boi do Coco ou boi de cofo e diz que seu santo protetor é São Pedro pescador e todo dia 29 de junho de cada ano o boi sai das águas encantado e vem brincar nas ruas e terreiros da cidade. meu ip
Share on Google Plus

About SUPERINFOR.com O Site Das Baladas

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário

Gallery